Celulares Android feitos pela LG são mais seguros, revela pesquisa | Notícias

Celulares Android feitos pela LG são mais seguros, revela pesquisa | Notícias

Os celulares Android da LG foram considerados os mais seguros em uma pesquisa feita pela Universidade de Cambridge sobre a vulnerabilidade dos dispositivos móveis com o sistema do Google. O estudo concluiu que os aparelhos fabricados pela empresa sul-coreana apresentam a melhor estrutura no combate às possíveis falhas do sistema. Os resultados ainda comprovam a importância da fabricante do gadget na proteção contra malwares.

Novo vírus do Android rouba dados e enche o celular com publicidade

O estudo levou em conta três componentes para analisar cada fabricante: o número de aparelhos livres de vulnerabilidades críticas, a quantidade de celulares com updates para a versão mais recente do Android e quantas falhas sequer receberam correções em quaisquer dispositivos.

LG tem os smarts mais seguros, diz pesquisa (Foto: Lucas Mendes/TechTudo)LG tem os smarts mais seguros, diz pesquisa (Foto: Lucas Mendes/TechTudo)

Como remover vírus do Android? Descubra no Fórum do TechTudo 

Em primeiro lugar, é claro, ficaram os aparelhos da linha Nexus, independente da fabricante. Afinal, eles têm o chamado Android puro e recebem, antes de todos os concorrentes, as correções e atualizações feitas no sistema pelo Google – o que é um grande diferencial. Eles ganharam 5.2 na escala dos estudiosos.

Os mais seguros por fabricante são: LG, Motorola, Samsung, Sony, HTC e Asus, com pontuações de 4.0, 3.1, 2.7, 2.5, 2.5 e 2.4, respectivamente. Ou seja, para quem desenvolveu o estudo, os smartphones da LG apresentaram uma melhor proteção ao ambiente de vulnerabilidades a qual os celulares Android estão sempre sujeitos.

O estudo revelou ainda que atualmente 87% dos aparelhos com Android estão vulneráveis a, pelo menos, uma falha de segurança. E, mesmo com todos sabendo que a incidência de malware no sistema do Google é frequente, a média de updates de segurança que eles recebem é de apenas 1,26 ao ano.

Via Phone Arena e Cambridge University

Fonte

Comments

comments

BpnGQtDrqJ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *