Brecha no Android: 1,4 bilhão de celulares podem ser ‘sequestrados’ | Notícias

Brecha no Android: 1,4 bilhão de celulares podem ser ‘sequestrados’ | Notícias

Aproximadamente 80% dos celulares com Android no mundo podem ter uma falha que deixa o telefone mais vulnerável a códigos maliciosos. A brecha no sistema permite que cibercriminosos “sequestrem” o seu smartphone e tenham acesso a senhas e contas. Isso significa que 1,4 bilhão de smartphones e tablets podem estar desprotegidos atualmente.

O alerta foi feito pela empresa de segurança móvel Lookout, responsável pelo antivírus de mesmo nome para AndroidiPhone (iOS). Segundo a companhia, o bug tem origem no kernel 3.6 do Linux, sistema usado para construir todas as versões do Android a partir do Android 4.4 (KitKat), inclusive o Android 7.0 Nougat, que tem lançamento previsto para este ano. 

Download do aplicativo do TechTudo: receba dicas e notícias de tecnologia no Android ou iPhone

Ao aproveitar a vulnerabilidade, um hacker pode descobrir, por exemplo, em qual servidor o dispositivo está conectado. Se essa conexão não for criptografada, o invasor pode enviar um script malicioso e infectar o aparelho. Ainda assim, caso haja criptografia, o usuário pode ser direcionado para uma página sem proteção e ter o celular ou tablet atacado. 

Mesmo que seja uma brecha difícil de ser explorada, a falha assusta pela enorme quantidade de aparelhos que podem estar vulneráveis pelo mundo, assim como pelas várias possibilidades de ameaça. É possível que um cibercriminoso envie um JavaScript para o usuário e direcione a pessoa para uma página falsa, copiando dados importantes como login e senha. 

De acordo com um representante do Google ao site americano Ars Technica, os engenheiros estão cientes do bug e “estão tomando as medidas apropriadas”. Diante da afirmativa, é possível esperar que o Android 7.0 Nougat já saia de fábrica sem o erro dentro do sistema. 

Fonte

Comments

comments

BpnGQtDrqJ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *